Como tudo começou

10.05.2015

A verdade é que a vontade de viajar, conhecer o mundo e morar fora – pelo menos por um tempo  sempre existiu dentro de nós dois. Na nossa primeira viagem internacional juntos, fomos pra Patagônia Argentina (El Calafate, El Chaltén e Ushuaia), e ficamos encantados com as paisagens que encontramos por lá, sem falar na sensação de estar na cidade mais próxima da Antártida no mundo (no caso de Ushuaia, são 800km até o continente gelado). Isso despertou em nós dois a vontade de conhecer todos os cantos do mundo.

 

Lago Escondido - Ushuaia, Argentina

Em Ushuaia estávamos no ponto mais ao sul do mundo, depois da Antártida.

 

Foi quando descobrimos que um amigo nosso já tinha feito 2 viagens de volta ao mundo! – “Viagem de Volta ao Mundo?! Como assim??“. Nossos olhos se arregalaram e começamos a pesquisar tudo a respeito. Descobrimos que não é tão absurdo quanto parece, basta um pouco de desapego, desprendimento, muita organização e força de vontade. Claro, precisa de dinheiro também , mas é aí que entra o desapego e a organização.

 

Na metade de 2014, nossa vida profissional estava “ok”, mas, no começo de 2015, a Tatá ficou sem trabalho e isso acelerou nossos planos e começamos a cogitar a viagem dentro de um prazo não muito longo. Começamos a fazer várias pesquisas, nos sites das alianças aéreas, em blogs de viagens, e matérias de jornais e revistas, e chegamos à conclusão de que o mergulho poderia ser o norte da nossa viagem.

 

Além de ser fascinante a ideia de mergulhar em lugares incríveis como o Caribe, Tailândia e Austrália, percebemos que, unido com nossos conhecimentos audiovisuais, o mergulho poderia se tornar também uma fonte de renda durante a viagem, através da captação de fotos e vídeos subaquáticos, e, quem sabe, poderia vir a se tornar nossa fonte de renda no futuro, proporcionando a mudança de vida— pessoal e profissional — que tanto buscamos. Quem nunca parou para pensar que quem trabalha demais não tem tempo pra aproveitar a vida?

 

O Rafa já mergulha há mais tempo que a Tatá, e foi dele a ideia de levar para o mundo submerso nossos conhecimentos de foto e vídeo. Um dos lugares mais incríveis que ele já mergulhou foi Cozumel, uma ilha que pertence ao Caribe Mexicano, que tem mais de 30 pontos de mergulho em águas mornas e cristalinas. Como a Tatá ainda precisava de um pouco mais de prática de mergulho em si, e também queríamos aprimorar nossas fotos e videos subaquáticos, decidimos ir para Cozumel por mais ou menos 3 meses, tempo suficiente para concluir os cursos que queremos fazer e praticar bastante antes de sair viajando por aí.

 

É muito difícil conseguir especificar quando tudo começou a tomar forma. Desde o momento que dissemos “legal, vamos!”, se passou mais ou menos 6 meses até falarmos “então tá, vamos mesmo!”. E, a partir daí, foram menos de 2 meses para resolvermos tudo e comprarmos as passagens. Falando assim, agora, parece que foi tudo muito rápido, mas pra gente parece que foi um ano inteiro de pesquisas, dúvidas e preparativos.

 

Com a passagem marcada para 17 de maio, finalmente, nossos planos começaram a sair do “e se…” e entrar no “agora vai!”. Em menos de 1 mês, colocamos o site no ar, compramos o que faltava, resolvemos as pendências em São Paulo, arrumamos as malas e partimos para o primeiro destino do projeto que pretende viajar Profundo no Mundo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2017 by Profundo no Mundo