Grafitando por um mundo melhor

31.07.2015

Semana passada aconteceu aqui em Cozumel a segunda edição do festival “Sea Walls: Murals for Oceans“, promovido pela organização internacional de conservação marinha PangeaSeed.

O festival tem como objetivo trazer o oceano para mais perto das pessoas, através da pintura de graffitisnas ruas de varias cidades do mundo. Ao mesmo tempo em que enfeita a região, as pinturas levantam questões relacionadas à conservação e preservação do ecossistema marinho.

 

Grafite por Amanda Lynn – Cozumel, México

 

Ao todo, 30 artistas de 12 nacionalidades diferentes (incluindo o Brasil, representado por “Bicicleta sem Freio”), experimentaram os diversos ecossistemas marinhos de Cozumel, conversaram com especialistas sobre as dificuldades que os oceanos vêm enfrentando atualmente e, inspirados por essa temática, criaram 30 murais de graffiti, visando a educação e a conscientização ambiental tanto da comunidade local, como dos turistas que visitam a ilha.

Além disso, o projeto também promoveu a realização de workshops envolvendo jovens locais para falar sobre as questões do meio ambiente marinho que estão afetando a ilha, e o que pode ser feito para ajudar a salvar os nossos mares e oceanos.

 

Como diz o Diretor Executivo da PangeaSeed, Tre’ Packard: “Não importa em que lugar do mundo você vive, a maior parte do oxigênio que você respira vem dos oceanos, e a vida na Terra não seria possível sem a existência de oceanos saudáveis. Com a diminuição das populações de peixes, o aumento do nível do mar e a poluição generalizada, não importa se você vive perto da costa, na cidade ou nas montanhas, todos nós devemos nos sentir responsáveis pela saúde dos oceanos e da vida que há dentro dele”.

 

Grafite por Jason Botkin, representando Jacques Cousteau – Cozumel, México

 

Nós ficamos muito felizes em poder presenciar um festival como esse e esperamos, de verdade, que as paredes enfeitadas da ilha cumpram com o objetivo de não só conscientizar a população para os problemas ambientais que vêm afetando grande parte da vida marinha, mas também de educar e fazer as pessoas perceberem que sim, nós podemos ajudar a salvar o planeta. Basta aguçar um pouco a nossa percepção, deixar de pensarmos só em nós mesmos e entender que o simples fato de não jogar lixo no chão, ou deixar de pagar para ver aquele show de golfinhos, pode significar muito para o futuro dos nossos oceanos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2017 by Profundo no Mundo