Não temos casa, mas temos praia!

23.05.2015

Depois de passar a primeira noite em Cozumel sem saber onde iríamos dormir no dia seguinte, acordamos e começamos a buscar alternativas. O responsável pelo studio em que ficaríamos num primeiro momento se desculpou por não ter organizado melhor as coisas, e acabou nos emprestando 2 bikes, para que pudéssemos encontrar algo melhor. Fazer o quê, né? Saímos à caça!

 

A primeira coisa que fizemos foi procurar um outro hotel, com uma diária mais barata. Pesquisamos em 3 ou 4 lugares e optamos por ficar no Hotel Pepita, que cobrava apenas MX$100 a menos que o Hostelito, mas, como não sabíamos quantas noites teríamos que ficar, achamos mais prudente economizar.

 

Depois de instalados no Pepita, lembramos de uma casa amarela que tínhamos visto logo quando compramos as passagens, no HomeAway , um site bem legal que oferece a possibilidade de alugar uma casa, apartamento ou apenas um quarto, por diária ou temporada (descobrimos sobre ele no ViraVolta, que dá várias outras dicas de viagem de longo prazo). O preço era o mesmo do que iríamos pagar no studio, e a casa era linda, a ponto de ficarmos desconfiados. Mas, como estávamos sem opção, fomos atrás dela. Descobrimos que, na verdade, se tratava de uma casa com 9 apartamentos, que os donos são alemães (e moram na Alemanha) e que existe um administrador aqui em Cozumel, responsável por intermediar as transações. Parecia perfeito, não fosse pelo fato de que não conseguíamos entrar em contato nem com os donos, nem com o administrador, nem com algum morador dos 9 apartamentos.

 

Com a bike, passamos 3 vezes na casa, tocamos a campainha, chamamos e ficamos sentados por mais de 15min na frente, na esperança de encontrar alguém, mas nada aconteceu. Enquanto isso, continuávamos a busca. Pesquisamos sobre pacotes mensais em hoteis e pousadas, fizemos incontáveis buscas no Google e visitamos até uma imobiliária local, que também oferece opções de aluguel por temporada. Mas continuamos sem uma solução. A imobiliária até tinha uma casa que se enquadrava no que estávamos procurando, mas ela só estaria disponível no dia 10 de junho. Pelo menos já era alguma coisa…

 

Quando saímos da imobiliária, resolvemos insistir mais uma vez na Casa Amarela. Passando em frente, vimos 2 crianças brincando, e logo encontramos a mãe delas, que era a responsável pela limpeza dos apartamentos. Finalmente conseguimos falar com alguém! Ela foi muito gentil, ligou para o administrador, Alex, e tivemos muita sorte que ele estava disponível e foi ao nosso encontro em menos de 10 minutos. Entramos, conhecemos os apartamentos por dentro e adoramos. Era perfeito! Mas não poderíamos fazer a mudança de imediato. O Alex ficou de entrar em contato com os donos e nos dava um retorno.

 

Voltamos para o hotel um pouco mais aliviados e achamos que já estava na hora de relaxar um pouco. Pegamos as bikes e pedalamos em direção ao sul da ilha, em busca de uma praia para aproveitarmos um pouco da água cristalina do mar de Cozumel…

 

Profundo no Mundo - Cozumel 

 

Ficamos na praia até o sol se pôr, e voltamos para o hotel com a esperança de que, no dia seguinte, as novidades seriam melhores.

 

E foram! Logo de manhã o Alex nos mandou uma mensagem confirmando a disponibilidade do apartamento, fizemos o check-out do hotel, e nos mudamos para a Casa Amarela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2017 by Profundo no Mundo