Pontos turísticos na Cidade do México - Parte I

25.08.2016

Reservamos o segundo dia de turismo na Cidade do México para conhecer a zona arqueológica que dá nome ao hotel em que estávamos hospedados: Templo Mayor.

 

O mais legal dessa atração é que é uma zona arqueológica que fica bem no centro da cidade mesmo, perto do metrô Zócalo, então o acesso é super fácil, e o contraste entre as ruínas e a cidade é demais!

Ruínas do Templo Mayor, com a Catedral ao fundo - Cidade do México

Ruínas do Templo Mayor, com a Catedral ao fundo.

 

O Templo Mayor era um dos principais templos astecas e era dedicado a dois deuses: o deus da guerra e o deus da chuva e da agricultura. Por isso, no topo da pirâmide existiam dois santuários, cada um dedicado a um deus. Hoje em dia não dá mais pra identificar esses santuários, mas essa maquete, em exposição no Museu do Templo Mayor, que fica dentro no mesmo complexo, dá uma ideia de como era essa construção na época:

 

Maquete mostrando as camadas de construção do Templo Mayor, no Museu do Templo Mayor - Cidade do México

No Museu do Templo Mayor podemos ter uma noção de como era o complexo antigamente.

 

A construção do Templo data por volta do ano 1325, e depois disso, ele já foi reconstruído sete vezes, resultando sempre em uma ampliação do complexo. Essas ampliações ocorriam tanto como consequência do aumento do domínio do Império Asteca, como também devido às constantes inundações e terremotos que a cidade sofria, exigindo que se elevasse o nível das construções.

 

É possível ver as etapas desse processo de ampliação e reconstrução do Templo também na maquete acima, e, com um certo esforço, dá pra tentar identificar essas camadas também durante a visita.

 

Detalhe da maquete mostrando as camadas de construção do Templo Mayor, no Museu do Templo Mayor - Cidade do México

Detalhe da maquete mostrando as camadas de construção do Templo Mayor.

 

Ruínas do Templo Mayor - Cidade do México

Prestando muita atenção, é possível identificar também as camadas de construção no meio das ruínas do Templo Mayor .

 

 A entrada para o Templo Mayor custa MX$65 (cerca de R$12), e o horário de visitação é das 9h às 17h. Como é uma região ao ar livre, deixe para ir em um dia de sol, para suas fotos sairem mais bonitas! 😉

 

MUSEU NACIONAL DE ANTROPOLOGIA

 

Saindo do Templo Mayor, pegamos o metrô (MX$10) e seguimos para o Museu de Antropologia, que é um lugar fantástico para se conhecer com tempo. Infelizmente, nós não tínhamos tanto tempo disponível. Chegamos faltando 2 horas para o fechamento do museu, então optamos por escolher 1 entre as 23 salas de exposição (tem coisa pra caramba!!), para poder conhecer com calma.

 

Entrada do Museu de Antropologia - Cidade do México

Entrada do Museu de Antropologia, na Cidade do México.

 

A sala que escolhemos é a da Introdução à Antropologia, que fica logo na entrada, à direita. Lá, pode-se obter diversas informações sobre a origem do homem, e encontrar um fóssil de Lucy, espécie de hominídeo extinto do gênero Australopithecus, com mais de 3 milhões de anos, descoberto em 1974 durante uma escavação no deserto da Etiópia. Além do fóssil, há também uma reconstrução de como seria Lucy naquela época:

 

Reconstrução de Lucy, no Museu de Antropologia - Cidade do México

Reconstrução de Lucy, espécie de hominídeo Australopithecus, com mais de 3 milhões de anos.

 

Conseguimos também dar uma passada na sala da Civilização Asteca e descobrimos que a famosa escultura conhecida por Calendário Asteca nada tem a ver com um calendário! Trata-se da Pedra do Sol, que leva esse nome pois a figura representada no centro da escultura simboliza o deus do sol na cultura Asteca.

O real significado dessa escultura ainda é um pouco incerto. Alguns atribuem seu uso a rituais religiosos, outros a sacrifícios de gladiadores e outros ainda a relacionam com estudos de astrologia e astronomia.

 

Piedra del Sol no Museu de Antropologia - Cidade do México

A Piedra del Sol, como é chamada, não tem nada a ver com um calendário asteca!

 

A entrada para o Museu de Antropologia também custa MX$65 (R$12). E o horário de visitação é das 9h às 19h, mas lembre-se de reservar um pouco mais que 2 horinhas para conseguir ver tudo! O lugar é bem grande, e cheio de história interessante, vale a pena!!

 

No próximo post vamos continuar falando sobre os pontos turísticos da Cidade do México: No terceiro dia fomos para as Pirâmides de Teotihuacan, um dos lugares mais incríveis que visitamos!! E no quarto dia conhecemos Chapultepec em uma data super especial… 

 

Ficou com alguma dúvida? Tá pensando em fazer uma viagem para a Cidade do México e quer mais dicas de pontos turísticos para visitar? Manda uma mensagem pra gente! Vamos adorar ajudar! =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2017 by Profundo no Mundo