Precisa tomar vacina para viajar?

24.10.2017

vacinas e viagem

A Medicina do Viajante oferece atendimento especializado sobre vacinas para quem vai viajar.

 

Quem acompanha nosso Instagram viu nos Stories que semana passada nós fomos tomar vacinas para nos proteger de possíveis vírus e doenças ao longo da viagem. Mas como saber quais vacinas tomar para uma viagem de volta ao mundo, em que vamos passar por vários destinos em todos os continentes? Pesquisando em sites e blogs de viagem, descobrimos que existe a Medicina do Viajante, onde você pode obter todas as informações necessárias relacionadas ao cuidado com a saúde durante uma viagem.

 

Aqui em São Paulo existe o Núcleo de Medicina do Viajante, que fica no Instituto Emílio Ribas, e tem atendimento gratuito e de ótima qualidade para todo mundo. Funciona assim: primeiro você marca uma consulta através do email agendamento@emilioribas.sp.gov.br . Para esse agendamento, você precisa ter o número do seu CNS (Cartão Nacional de Saúde, ou cartão do SUS). Caso você não saiba esse número, é possível consultá-lo neste link.

 

Junto com o agendamento, você será informado que deve fazer um cadastro prévio no site da ANVISA caso precise emitir o CIVP (Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia), exigido nos países onde a vacina contra a febre amarela é obrigatória. Nesse mesmo site, após o cadastro, você pode consultar todas as vacinas e recomendações de cuidados com a saúde exigidos em cada país, clicando na aba “Destinos”.

 

Quando chegamos na recepção do Instituto Emílio Ribas, no dia da nossa consulta, mostramos o comprovante do agendamento que recebemos no email, e fomos encaminhados para a sala da Medicina do Viajante. Não foi muito fácil entender onde ficava essa sala, porque também não tem nenhuma sinalização, mas perguntamos para alguns funcionários e conseguimos chegar lá. rs

 

Lá, fomos recebidos pelo Dr. Jesse Reis Alves, que nos deu um formulário para preenchermos, com perguntas relacionadas à viagem (quais países iremos visitar, data de início e término da viagem, atividades ou esportes que serão praticados, doenças prévias e histórico de saúde, etc). Com o formulário preenchido, entramos na sala de atendimento, e nos deparamos com uma equipe de mais 3 médicos, super simpáticos e atenciosos, que conduziram nosso atendimento, sob a supervisão do Dr. Jesse.

 

Já tínhamos lido em alguns sites que esse atendimento era muito bom, e agora pudemos comprovar isso. Além de analisarem nossas carteirinhas de vacinação e nos orientarem com relação às vacinas que deveríamos tomar, recebemos também uma série de recomendações com relação à prevenção de doenças, desde o repelente mais indicado até o tipo de comida que devemos evitar dependendo do local que estivermos.

 

Com relação ao repelente, eles indicaram um que tenha pelo menos 25% de uma substância chamada icaridina, e que é fácil de encontrar em algumas farmácias e lojas de esporte e aventura (o mais conhecido é o da marca Exposis). Além da versão em spray ou creme, para passar nas áreas expostas do corpo, descobrimos que existe uma versão para passar nas roupas e mosquiteiros: você deve impregnar as peças com o produto, que é resistente a mais ou menos 10 lavagens, e assim fica duplamente protegido. Achamos um sucesso!

 

Outras recomendações que recebemos foi com relação à água e comida que iremos ingerir ao longo da viagem. A água deve ser sempre mineral e, de preferência, com gás (para garantir que ela passou por algum processo industrial antes). Evitar água da torneira e de proveniências duvidosas é uma medida fundamental para evitar a contaminação. A mesma coisa se aplica às comidas: evitar comida de rua e alimentos crus, pois o processo de cozimento ajuda a matar possíveis bactérias presentes nos alimentos. Vale destacar que a maior parte dessas orientações, pra não dizer todas, dizem respeito aos países da Ásia e da África, onde as condições de saneamento básico não são das melhores, pra não dizer inexistentes, e, por isso, o risco de contrair algum vírus ou doença é maior do que em outras partes do mundo.

 

Após todas essas orientações e esclarecimentos de dúvidas, fomos encaminhados para tomar as seguintes vacinas:

 

– Dupla Adulto (reforço para tétano e difteria)

– Hepatite B (reforço)

– Tríplice Viral (Sarampo, Caxumba e Rubéola – reforço)

– Febre Amarela

– Raiva

– Hepatite A

– Febre Tifóide

– Encefalite Japonesa

 

Algumas dessas vacinas são dadas em mais de 1 dose e, como nossa viagem acontece em menos de 1 mês, não teremos tempo de tomar tudo antes do embarque. Além disso, a vacina contra Encefalite Japonesa nem existe aqui no Brasil. Então, eles nos orientaram a tomar essa e as próximas doses necessárias durante a viagem mesmo, e vamos aproveitar para fazer isso nos nossos primeiros destinos: EUA e Austrália, por serem países com uma melhor estrutura, onde com certeza não teremos grandes dificuldades para encontrar uma clínica autorizada a realizar o procedimento. Existe um site chamado ISTM (International Society of Travel Medicine), onde é possível consultar a localização das clínicas de vacinação existentes em todo o mundo e, pelo que entendemos, é só chegar com o Passaporte e solicitar a vacina. E, obviamente, pagar, pois infelizmente elas não são gratuitas.

 

Enfim! A consulta no Núcleo de Medicina do Viajante do Instituto Emílio Ribas, em São Paulo, é 100% personalizada, e eles realmente analisam o seu perfil individual de viajante (se vai acampar, se vai adentrar pelo interior ou ficar mais na zona urbana e turística dos lugares, que tipo de atividades vai realizar, quanto tempo vai ficar etc). No final da consulta, eles ainda nos deram uma lista com sugestões de medicamentos para levarmos na mala em caso de necessidade (anti-inflamatórios, analgésicos, antiácidos, medicamentos para alergias, enjôos e outros), e nos encaminharam para tomar as vacinas que são distribuídas de forma gratuita no próprio Instituto. As vacinas contra Hepatite A e Febre Tifóide são distribuídas apenas na rede particular, e vamos agora procurar onde podemos tomá-las por aqui.

 

Mesmo se você não está planejando uma viagem de longo prazo, mas pretende conhecer algum país principalmente da Ásia ou da África, ou tem dúvidas sobre as condições de saúde de um determinado destino que você vai visitar, vale a pena marcar essa consulta e se informar direitinho do que te aguarda pela frente! Afinal, prevenir nunca é demais, e com saúde não se brinca, não é mesmo?

 

Se você não mora em São Paulo, uma rápida busca no Google por “Medicina do Viajante + a sua cidade” vai ser capaz de te mostrar os locais disponíveis para realizar uma consulta dessas. Se você conseguir se planejar e marcar com antecedência, pode ser que consiga tomar todas as vacinas necessárias ainda no Brasil! 😉

VEJA TAMBÉM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2017 by Profundo no Mundo